domingo, 22 de novembro de 2009


Minha primeira cozinheira...

Um chinês muito Zen...

A "filhota" também é vaidosa e adora exibir suas longas tranças.

Olha só que galinha mais vaidosa!

São Francisco em cabaça.

São Francisco com uma carinha feliz!

Esta amorosa gordinha foi presenteada e hoje "mora" em Campina Grande!

Esta aqui tem as pernas compridas e o cabelinho feito de tecido. Adorei o resultado! Eu a batizei d. Miluca !!!!

Uma orixá em cabaça! Esta é Iemanjá e ela está no meu terraço "olhando" para o local que mais gosta: o vasto oceano!
Aqui fiz uma composição com a metade de um coité - parte da saia. Aproveitei ainda, a metade de uma cabaça com pescoço para montar a cabeça. O rendado do vestido foi feito com massa plástica e os complementos com bico de rendinha e croché! No adorno da cabeça coloquei tule, pedrinhas e um pedacinho de uma máscara de carnaval.
Ela não ficou uma gracinha?

Uma bruxinha muito sapeca e que não mete medo em ninguém... Aliás, esta pecha de "bruxa malévola" nada mais é que a pura repetição de uma história, muitas vezes contadas, para desvirtuar o verdadeiro sentido das mulheres que há muitos séculos, como conhecedoras da natureza e portadoras de um ciclo interno lunar, sabiam (e sabem) interpretar os recados da natureza e identificavam as ervas que aliviavam e curaravam dores e sofrimentos.
Basta dar uma olhada nas publicações- resultados de pesquisas sobre o tema!
Como apropriadamente registrou Rita Lee " Nem toda feiticeira é corcunda... nem toda brasileira é só bunda"
Gosto de trabalhos com cabaças. Elas permitem grande variedade de criações - além de serem bastante decorativas. Esta aqui foi uma das minhas primeiras criações. Outras vieram e outras, com certeza virão.
Quando vejo um destes "presentes da natureza" logo fico a imaginar como transformá-los. É um processo prazeroso: olhar, imaginar, selecionar tintas e cores, manuseá-las e ver o "nascer" de novas criações.